TELAPRETA.png
 

Todo mundo é criativo, mas só ideia não vale nada. tEM QUE FAZER. Agir sem esperar peloS PAIS, PELO CHEFE, PELO PREFEITO, PELO governo. Todos podemos criar e executar projetos que promovam espaços urbanos mais colaborativos.

O Hack The City é um desafio para estimular jovens ENGAJADOS a criarem PROJETOS sociais simples, criativOs e replicáveis.
nós acreditamos que O PODER ESTÁ NAS PESSOAS.

 
 
logo_data_rio.png
 

O Hack The City é inspiração e ação juntos. Serão 48 horas de criação, planejamento e prototipagem e depois rua para dar vida aos projetos. Estamos em busca de jovens, de 18 a 25 anos, que sejam criativos, ousados, inquietos e com espírito fazedor. Uma galera envolvida com atividades criativas dentro ou fora da faculdade, que mete a mão na massa, que ame sair da zona de conforto e quer deixar uma marca no mundo.

 
 
 
 

Imersão:

Os grupos terão 48h para desenvolver projetos criativos de impacto social positivo.

AÇÃO:

Depois da imersão, cada grupo
deverá executar seu projeto na cidade do Rio de Janeiro.

grana.png

GRANA:

Cada grupo receberá 
um investimento de R$2.000
para dar início ao seu projeto.

WEB SÉRIE:

A imersão e a execução dos projetos serão registradas e se transformarão em uma web série no YouTube.

 
 
 
 

Essa é a galera que vai ajudar os participantes a levarem suas ideias pra frente e fazer acontecer.

 

Ana Lycia Gayoso
Ana é gestora do Move Rio, uma associação que potencializa projetos de valor na cidade, e coordenadora do Rio Eu Amo Eu Cuido. Acredita na melhoria do Rio através da mudança na cultura do comportamento e no empoderamento do carioca como participante ativo na transformação da cidade.

BRUNO2.png

Bruno Duarte
Formado em comunicação social, com habilitação em cinema, e hackeia ferramentas de comunicação para criar experiências de mobilização com foco em narrativas descolonizadas sobre gênero, sexualidade, relações raciais e culturas urbanas na diáspora. Co-coordenou a comunicação do curta KBELA, é colaborador da AFROFLIX e da Anistia Internacional Brasil.

CAIO.png

Caio Andrade
O Caio ama conversas. Escapou do curso de engenharia civil para desenvolver projetos que o completariam de outras formas. Já viveu sem dinheiro no Havaí e na Africa do Sul e se especializou em uma das escolas mais inovadoras do mundo, na Suécia. Acredita em um mundo com menos ideias e mais conversas.

Hanier Ferrer
Hanier é cria e morador de Nova Iguaçu, estudante de Direito, já foi missionário no sertão nordestino, integrante da Agência de Redes para Juventude. É o criador da produtora social Barraco Marginal e acredita na redistribuição de renda, ampliação da visibilidade e aumento da diversidade artística no Rap.

Rafa Rezende
Rafael descobriu que queria estudar e trabalhar com ativismo e comunicação quando caiu de paraquedas no 15M em 2011, na Espanha. De volta ao Brasil, ajudou a construir o OcupaRio, na Cinelândia e trabalhou 5 anos com a Rede Meu Rio no desenvolvimento de tecnologias e metodologias de mobilização. Em 2016, ajudou na comunicação da campanha de Freixo à Prefeitura. Hoje está na equipe da vereadora Marielle Franco, aprendendo a hackear o sistema por dentro.

Tati Leite
A Tati é mãe, empreendedora social e cofundadora da Benfeitoria. Faz parte de projetos incríveis e transformadores como o Rio+ e o Reboot e acredita que é possível uma cultura mais humana, colaborativa e realizadora no Brasil.

 
 
Cópia de NEX.png

LOCAL


O Hack The City acontecerá no Nex Coworking,
localizado no bairro Glória. 
Um espaço extremamente confortável,
desenhado para inspirar e conectar a galera.

Shoot.png

REALIZAÇÃO


O Hack The City é uma metodologia
desenvolvida pela Shoot The Shit
que há 6 anos convida
as pessoas a olhar para a cidade de forma diferente. 

 

 
 

o hack the city rio de janeiro só existe
porque foi financiado via crowdfunding por 188 pessoas que, assim como nós, 
ACREDITAM
QUE A MELHOR FORMA DE RECLAMAR É FAZENDO. saiba como foi.

 

logos.png