1. Quanto custa para participar?
Nada! O Hack The City é um evento com inscrições e participação totalmente gratuitas.

2. Vai rolar só no Rio de Janeiro?
Esta edição, sim. A ideia é que novas edições possam surgir depois desta data, em várias outras cidades do Brasil.

3. Quanto tempo vai durar?
Serão 48 horas. O check in será realizado na sexta, dia 7 de abril, e seguiremos em atividade até o fim da tarde de domingo, dia 9 de abril.

4. Quem pode participar?
Jovens brasileiros que estejam motivados a hackear o Rio com ideias que impactem positivamente a cidade. Com espírito fazedor, sem frescura, criativos, inquietos e
que tenham entre 18 anos completos até 25 anos. 17 ou 26 anos não vale :(

5. Como posso me inscrever?
A partir do dia 13/02, serão abertas as inscrições para os jovens interessados. Será necessário responder perguntas em um Typeform. Cada resposta será decisiva na hora da escolha dos 25 participantes.

6. Não moro no Rio. Posso participar do processo seletivo?
Sim! Mas a passagem até o RJ e estadia fica por sua conta. 

7. Quem está organizando?
O Hack The City é um evento desenvolvido pela Shoot The Shit, um estúdio criativo focado em comunicar causas de organizações, mobilizar pessoas para ação e deixar um legado positivo para a cidade.

8. De onde vem a grana para bancar um evento assim?
O Hack The City foi financiado via crowdfunding na Benfeitoria por 188 pessoas (valeu, galera <3) e potencializado por um matchfunding da Youse. A Youse é uma plataforma de venda de seguros online que contribui para projetos especialmente selecionados. O Hack The City foi o único projeto do Rio Grande do Sul escolhido para a plataforma. Cada contribuição feita na Benfeitoria, a Youse investiu o mesmo valor, duplicando a doação.

9. Quais serão as metodologias abordadas?
O Hack The City trabalhará temas complexos da cidade em um clima descontraído, aberto, próximo, leve. Utilizando dinâmicas e ferramentas sociais das metodologias do Art of Hosting, Dragon Dreaming, Design Thinking, Fast Idea Generation, vamos conduzir os 25 jovens a gerarem alternativas criativas para os problemas da cidade do Rio de Janeiro. Uma dessas alternativas se tornará o projeto do grupo.

10. Por que 25 jovens?
Acreditamos que a dinâmica fica mais fluida se dividida em 5 grupos de 5 pessoas.